top of page

Estudo identifica mais de 400 oportunidades comerciais e de investimentos na Itália.


Em 2023, Itália foi o 15º destino das exportações brasileiras e 7º mercado de origem de importações.


Investimentos italianos no Brasil chegam ao maior patamar em uma década

Brasília – A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) publicou, nesta segunda-feira (08), o Perfil de Comércio e Investimentos – Itália, trazendo dados e análises sobre a corrente de comércio entre Brasil e Itália, as tendências de investimentos, informações de acesso a mercado e as oportunidades identificadas pela Agência para exportações brasileiras.


Com uma das maiores economias do mundo e uma posição estratégica na União Europeia, a Itália continua a desempenhar um papel importante nas relações comerciais e de investimento com o Brasil. Mesmo diante de desafios econômicos, as perspectivas das relações econômicas entre os dois países permanecem promissoras.

Em 2023, a Itália foi o 15º principal destino das exportações brasileiras.


As vendas brasileiras para o país chegaram a US$ 4,1 bilhões, com destaque para produtos como café não torrado, celulose, farelos de soja, soja e óleos brutos de petróleo, produtos que somados representaram 54% de todo o valor exportado no último ano.


Farelos de soja e soja tiveram crescimento médio de 35,8% e 40,3%, respectivamente, no período de 2019 a 2023. Outro produto proeminente na pauta exportadora brasileira é o café não torrado. Com tarifa zero para acessar o mercado italiano, o Brasil é o principal fornecedor de café não torrado para a Itália (36,3% de participação).


O Perfil de Comércio e Investimentos ainda aponta as 429 oportunidades comerciais identificadas pelo Mapa de Oportunidades da ApexBrasil para os produtos brasileiros. Além dos produtos que já fazem parte da pauta exportadora, existem também oportunidades para gemas, medicamentos e produtos farmacêuticos e bebidas alcóolicas.


Acesso a Mercado:


Grande parte das importações da Itália (76,6%) é proveniente de acordos comerciais. A entrada em vigor do Acordo de Associação Mercosul – União Europeia seria fundamental para aumentar a competividade dos produtos brasileiros no bloco. Contudo, o Acordo é alvo de impasses ambientais e protestos de agricultores europeus.


É igualmente importante que os exportadores brasileiros estejam atentos à Lei Antidesmatamento da União Europeia, que entrará em vigor em janeiro de 2025 e que proíbe a importação de produtos oriundos de áreas desmatadas após 31 de dezembro de 2020. A regularização precisa acontecer até o fim deste ano, quando o bloco europeu começará a exigir as novas documentações.


Investimentos:


O estoque de Investimento Estrangeiro Direto (IED) da Itália no Brasil cresceu significativamente em 2022, atingindo US$ 21,1 bilhões. Os setores de energia elétrica, telecomunicações, logística, serviços e manufatura destacam-se como áreas prioritárias para os investimentos italianos. Grandes empresas italianas, como Enel, TIM, Grupo EcoRodovias e Calzedonia, continuam a expandir suas operações no Brasil, contribuindo para o crescimento econômico e a geração de empregos.


Desde 2013, a Itália investiu em 18 projetos de infraestrutura no Brasil, totalizando mais de US$ 4,3 bilhões. Além disso, foram registrados 120 projetos greenfield e 30 anúncios de fusões e aquisições, com a estimativa de criação de mais de 12.000 empregos no Brasil nesse período.


4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page