top of page

Inflação ao produtor na China cai 2,6% em outubro e totaliza 13 meses seguidos de recuo.

Inflação ao consumidor (CPI), por sua vez, caiu 0,1% na comparação mensal e 0,2% na anual, puxada pelos preços de alimentos.

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) da China, que mede os custos dos produtos na porta da fábrica, recuou 2,6% em termos anuais em outubro, permanecendo assim pelo 13º mês seguido no campo negativo, informou nesta quinta-feira (9) o NBS, o departamento nacional de estatísticas. No mês, houve estabilidade em relação a setembro.


A inflação ao consumidor (CPI), por sua vez, caiu 0,1% na comparação mensal e 0,2% na anual.

Os dados da inflação chinesa vieram muito próximos das projeções de analistas. O consenso Refinitiv esperava queda de 2,7% nos preços industriais em outubro, enquanto a mediana das estimativas para o CPI era de estabilidade na comparação mensal e de queda de 0,1% na anual.

O PPI médio nos primeiros 10 meses de 2023 mostra queda de 3,1% na comparação anual.

Dong Lijuan, estatístico do NBS, disse à agência Xinhua que a estabilidade do PPI na leitura mensal em outubro foi causada pelas flutuações dos preços internacionais do petróleo bruto e dos metais não ferrosos, bem como por uma base elevada no mesmo período do ano passado.

O PPI da indústria de extração de petróleo e gás, por exemplo, avançou 2,8% em termos mensais em outubro, enquanto os preços para a indústria de fundição e laminação de metais não ferrosos caiu 0,2%. Na mineração e beneficiamento de carvão, a inflação subiu 3,4%.

Ainda segundo o NBS, o PPI para os veículos movidos a novas energia, como os elétricos, subiu 0,1% em outubro, enquanto os preços da indústria agrícola e de processamento de alimentos caíram 0,4%.

A queda da inflação ao consumidor em outubro, por sua vez, foi  atribuída ao comportamento dos preços de produtos agrícolas e à redução da demanda após o Festival do Meio Outono e o feriado do Dia Nacional no início do mês.

O CPI dos alimentos caiu 4% em termos anuais em outubro, acelerando na comparação com a retração de 3,2% em setembro. O preço da carne suína, um alimento básico na China, recuou 30,1% em relação ao ano anterior, com o ritmo de queda acelerando em relação aos 22% de setembro.

Na base mensal, os preços dos alimentos recuaram 0,8% ante setembro. Já os preços dos produtos não alimentares subiram 0,7% em termos anuais.

O núcleo do CPI, que deduz os preços dos alimentos e da energia, subiu 0,6% em termos anuais no mês passado, com o ritmo de aumento moderando ligeiramente em comparação com setembro.

O CPI médio de janeiro a outubro subiu 0,4% em termos anuais, de acordo com o NBS.

Wen Bin, economista-chefe do China Minsheng Bank, disse à Xinhua que o abrandamento do CPI de outubro ocorreu porque a oferta do mercado do país excedeu a demanda, o que resultou de uma ligeira recuperação da procura interna, enquanto a demanda externa permaneceu fraca.

13 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page